Experts    |    Eu, profissional    |    Tendências    |    Guia da Beleza
Voltar

Barbearia

Barba e cabelo estilo Lumberjack
Nada como uma crise para mudar comportamentos, abrir os horizontes e fugir do óbvio. Foi isso o que aconteceu nos Estados Unidos, em 2008, quando surgiu o estilo Lumberjack: camisa xadrez, jeans destroyed, botas robustas, cabelos compridos e barba cheia — visual curinga dos homens na ocasião. A fonte principal desse comportamento, que acabou virando tendência e ganhou o mundo anos depois, foi o enorme colapso financeiro — o segundo maior da América, depois da Grande Depressão, em 1929. Os homens se viram com a grana curta e passaram a investir em roupas de alta qualidade que durassem muito – a ideia era ter poucas peças, mas itens essenciais. E, ao que parece, deixaram cabelo e barba crescer, para evitar idas frequentes à barbearia, outra forma de economizar. Resumindo: o estilo agora está super em alta na beleza do homem contemporâneo e virou trend total. Frequentemente confundido com os hipsters americanos (que se caracterizam pela forma alternativa de se vestir e consumir basicamente o que é produzido na localidade onde moram), o estilo Lumberjack também vem com essa pegada original, de raiz, mas, na verdade, os homens prezam pela elegância com praticidade, tanto no figurino quanto no visual de cabelo e barba. A coisa funciona mais ou menos assim: no guarda-roupa, poucas e boas peças; no look, cabelos mais compridos com um bom corte e barba longa, cheia e alinhada. É a tradução do minimalismo: pouco, mas o melhor. “Em 2009, a indústria americana começou a corresponder a essa exigência dos homens, das roupas de excelente qualidade. No entanto, foi apenas em 2014 que a moda e o estilo Lumberjack realmente decolaram”, lembra César Thiago Pacanhela, instrutor do curso de barbearia do Instituto Embelleze de Pirassununga (SP). Confira outros detalhes da tendência no vídeo que está no fim deste post! O estilo exige cuidado e manutenção De 2014 pra cá a tendência Lumberjack só aumentou e ganhou cada vez mais adeptos. No Brasil, o visual lenhador é o que mais representa a versão latina do “look rústico”, com sutis diferenças. O estilo naturalista da América conserva um pouco mais de harmonia entre o cabelo comprido e a barba cheia, sem ser tão livre de padrão como o lenhador. “Os cabelos são compridos, mas não necessariamente alinhados. Geralmente, é o contrário, um pouco bagunçados – nesse aspecto lembra o tipo lenhador. Para a barba, a regra é ser cheia, porém ligeiramente alinhada. O cabelo e a barba estilo Lumberjack necessitam de cuidado com produtos específicos para o dia a dia, pois como os fios são mais longos, devem ser hidratados. O ideal é hidratar semanalmente e aparar os pelos com mais frequência”, ressalta César Thiago. Técnicas de corte e aparo Se você quer oferecer esse serviço na sua barbearia ou salão de beleza, vá em frente sem medo, pois não é difícil. Tecnicamente falando, conquistar o estilo Lumberjack é mais fácil do que parece. Primeiro, o cabelo não deve estar tão curto, é preciso ter o mínimo de comprimento para ser trabalhado. “O corte é simples, feito somente com a tesoura e pente livre, para dar o ar despojado, e nunca com marcação em linha reta”, pontua César Thiago, do Instituto Embelleze. “Já a barba, contudo, requer um cuidado especial, pois é longa, tem as laterais mais definidas e alinhadas. Basta ficar atento nesse detalhe”, complementa o especialista. 
> Leia mais
Beleza masculina: cuidados para todas as idades
Os homens estão cada vez mais preocupados com a aparência. E isso se confirma em números: segundo o instituto internacional de pesquisas Euromonitor, o mercado de beleza masculina cresceu70% nos últimos cinco anos. O Brasil já representa 13% das vendas mundiais, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, que detêm 18% de participação. A expectativa para os próximos cinco anos é de que o Brasil alcance mais de 20% de participação no mercado global, com vendas de U$ 8,1 bilhões em 2022 – uma média de crescimento anual 11,2%, mais do que o dobro da elevação prevista para o mercado mundial: 4,7% ao ano, atingindo US$ 56,2 bilhões em 2022. Interessado em entrar para o time dos homens vaidosos? A seguir, algumas dicas de beleza masculina por idades (corte, penteado, coloração e tratamentos). Inspire-se! Beleza masculina de 20 a 35 anos Nessa fase, o homem é jovem, tem uma pele boa e firme e, geralmente, ainda exibe bastante cabelo. Sendo assim, pode ousar mais, arriscar uma tonalidade diferente nos fios, fazer mechas, luzes e até um platinado. Inclusive, os tons bem claros estão super em alta hoje. A beleza masculina é bastante favorecida nessa etapa e dá para se jogar nos cortes mais modernos para conquistar um visual descolado.   CORTE “O estilo que está bombando no momento é o corte skin fade (inspirado no corte dos soldados americanos, raspado nas laterais com bastante cabelo no topo) com penteado pompadour”, garante o instrutor do curso de barbeiro Lucas Fernandes, do Instituto Embelleze São José dos Campos unidade Satélite (SP). O corte fade é essencialmente degradê, a partir da máquina zero, deixando o couro cabeludo aparente. No topo da cabeça o comprimento e o formato dos fios ficam a critério de cada cliente, podendo ser mais curto ou mais longo. Como não é fácil deixar o fade nivelado e bem-feito, é importante que você faça o corte com um barbeiro ou cabeleireiro de confiança, que seja habilidoso para mandar bem. Aliás, para realizar o corte, além da máquina é necessário utilizar vários pentes de corte e tesoura, para que a transição do fade com o topo fique impecável. O efeito degradê pode ter diversas variações. Os mais pedidos são: low (baixo), mid (médio), high (alto) e o taper fade (sutil e gradual sem marcações ou porções totalmente raspadas).   O penteado pompadour, que dá o toque final na beleza masculina do corte fade, é inspirado em Elvis Presley, com aquela pegada de fios compridos na frente escovados para trás de maneira que seja criado uma onda ou topete, dependendo da quantidade e do comprimento dos fios de cada um. Nas laterais, os fios que foram cortados com tesoura, isto é, os mais longos também são penteados para trás. Atenção homens que não têm necessariamente o corte fade, mas o cabelo tem certo volume e tamanho, basta fazer o topete para aderir o modelo. BARBA Nos jovens, praticamente qualquer estilo de barba cai bem e valoriza a beleza masculina. A escolha é uma questão de preferência, dos hábitos e nível de praticidade no dia a dia. A queridinha dos barbudos modernos é a geométrica com degradê. O desenho bem traçado traz um ar sóbrio, por outro lado o degradê traz descontração. A barba cheia ou estilo lenhador é outro sucesso que nunca sai de moda: pode ser alinhada ou meio sem forma, com bigode ou não, vale tudo. A barba por fazer é puro charme e não tem mais conotação de desleixo. Você pode apostar para transmitir uma postura mais descolada. Beleza masculina de 35 a 45 anos É nessa fase que alguns homens começam a perceber certa queda ou o afinamento dos fios. Os motivos são naturais da idade: estresse, consumo de determinados medicamentos, disfunções hormonais, além da genética e dietas restritivas que também influenciam e tendem a acelerar o processo de calvície, sobretudo para quem tem tendência. Quando o assunto é coloração, fica liberado recuperar o tom original dos fios para quem não quiser ter o choque dos cabelos grisalhos muito cedo. O ideal é fazer e manter a cor no salão ou barbearia e, para não ter erro, mostrar uma foto sua não muito antiga, de pouco tempo atrás, para que o cabeleireiro ou barbeiro possa seguir uma linha bem fiel de recuperação do tom original dos cabelos, de forma bem natural. Outra opção é arriscar uma nova cor, seja por desejo ou por necessidade de cobrir os brancos. Nesse caso, aposte nos tons de mel ou cobre, os tons favoritos deste ano, podendo cobrir todo o cabelo ou simplesmente fazer luzes. CORTE “Para essa faixa etária, o mais indicado são os cortes sociais, podendo haver variações de altura como estilos curtos nas laterais e a parte superior mais acentuada. O corte graduado também está entre os mais modernos para essa idade”, afirma o instrutor Gustavo Guedes, do Instituto Embelleze São José dos Campos unidade Satélite (SP), que garante que os cortes mais curtos são sempre uma boa aposta porque não deixam a falta de volume tão evidente.  Também é nessa época que alguns homens começam a ficar grisalhos e surge a necessidade de buscar novos cortes que se adaptam melhor à nova cor dos fios. Seguindo a linha de disfarce dos fios brancos, da calvície e do afinamento dos cabelos, um corte, superprático e clássico, como variação do estilo social, é o Ivy League ou Princeton, que bombou no começo do século nas universidades americanas e até hoje é desejado pelos homens. Afinal, é praticamente um símbolo da beleza masculina. As laterais curtas, o topo mais baixo e a frente do cabelo um pouco mais alongada (na altura dos olhos), podendo ou não formar um topete, caiu nas graças dos brasileiros. É usar e arrasar, pois ele nunca sai de moda. Só tem uma ressalva, apesar de ser uma tendência para os mais novos, por conta dos jogadores de futebol que aderiram em massa, fica proibido lançar mão de riscas e divisões marcadas de forma exagerada com a navalha e também topetes muito longos e cheios. Nessa fase, com certeza menos é mais! BARBA A barba rente, feita com o número da máquina acima de quatro, é a campeã para essa faixa etária, já que ela acompanha super bem o corte social. Inclusive, quanto mais curtas as laterais do cabelo, mais natural fica o look. São os truques da beleza masculina. Beleza masculina de 45 a 55 anos Os homens já estão mais estáveis na profissão e não precisam mais justificar suas escolhas, então, acredite, a palavra de ordem é liberdade, só que com um toque contemporâneo. “É uma faixa de idade em que muitos homens buscam um corte de cabelo mais moderno, com um estilo que foge do social básico, tipo graduações nas laterais. Esse é o visual perfeito para eles”, garante Lucas. O que não significa que as laterais curtíssimas e o topo mais longo, podendo ou não ser estilizado com um topete, não fique um show. A questão é que aqueles que têm tendência à calvície veem o problema de perto nessa época, muitas vezes com as entradas na testa, assim como o afinamento e o surgimento dos fios brancos. Um dos maiores dramas para a beleza masculina. Por causa disso, nesses casos, o desafio para o cabeleireiro ou barbeiro é fazer um corte que evidencie o que resta de cinza (ou seja, os menos brancos) e evite que o couro cabeludo fique exposto. Quanto à cor, não hesite em ostentar os fios brancos, eles estão com tudo no pódio da beleza masculina! No entanto, a gente sabe que para alguns é um aspecto que, de fato, incomoda, nesse caso, a melhor coisa a fazer é pedir uma orientação para o barbeiro ou cabeleireiro. CORTE Os cortes de comprimento médio também caem bem para quem ainda tem certa quantidade de fios. São os chamados side part, bem curtos na nuca, nem tanto nas laterais, e mais longos no topo, penteados para o lado, cujo representante clássico é o ex-jogador de futebol inglês, David Beckham. Um ícone de beleza masculina. Esse estilo não depende de volume para ficar bom, e super funciona para problemas de afinamento e queda expressiva, pois tem um caimento que, de qualquer jeito, fica natural e elegante. Um plus: pode ser penteado com pomada ou pasta modeladora em ocasiões especiais. Por fim, o cabelo médio (base mais curta e fios mais compridos em cima) é também uma excelente pedida para os homens maduros porque são naturalmente elegantes, sem precisar de muita técnica. Penteados para trás (com uma pomada flexível), fazendo o estilo slick back, disfarçam bem pouco volume e calvície moderada e fica um charme. BARBA A barba para os homens maduros é bem democrática, com destaque para o cavanhaque, no estilo clássico, com bigode alinhado com pelos no queixo, que fica um show e ainda dá um toque de virilidade à beleza masculina. A barba por fazer, com os pelos bem curtos; e a desalinhada, despojada, em que os fios crescem livres sem serem aparados, traz um visual mais jovem e ainda disfarça falhas nos pelos. A barba cheia, que é o aposto da “por fazer”, também funciona para os mais velhos, com pelos longos que dão maior volume ao desenho. Outro estilo que podemos incluir aqui é o Van Dyke, uma variação do cavanhaque, com bigodes cheios, longos e de pontas curvadas, com os pelos do queixo bem longos também. Beleza masculina para todas as idades Alguns cuidados independem da idade e devem estar na cartilha da beleza masculina em todos os períodos da vida. Saiba quais são... É sempre bom lembrar que não existe idade certa para os cuidados essenciais com os cabelos. Usar um xampu específico para o tipo, assim como um condicionador e uma máscara são hábitos que todos os homens que quiserem ter um cabelo bonito e saudável precisam ter. Os produtos devem ser, de preferência, da mesma linha e marca para aumentar o poder de ação dos ativos da fórmula.  Em qualquer fase da vida também é indicado a depilação de nariz, orelhas e sobrancelhas, quando o excesso de pelos nessas regiões incomoda. Com uma restrição para o nariz: é recomendado apenas aparar os fios e não retirá-los completamente, pois eles têm papel importantíssimo no processo de filtro respiratório. O cuidado com as unhas é essencial para homens de qualquer idade, sem receio de ir à manicure para manter a higiene e o corte saudável, para evitar encravamento. Barbas cheias e com mais volume tendem a acarretar um probleminha: pelos encravados. O tratamento indicado, nesses casos, é a depilação a laser. Vale consultar um dermatologista para conhecer os detalhes do procedimento. Cabelos grisalhos amarelam com facilidade e tendem a ser muito porosos e ressecados por conta da falta de melanina. Resultado: fios fragilizados e mais propensos à quebra. Uma boa dica para lidar com essa condição é o uso de ceras e pomadas no dia a dia, e de máscaras hidratantes no banho para manter os fios saudáveis. Quem tem cabelos médios ou longos deve evitar fazer fricção intensa com a toalha após o banho e escovar os fios com força, assim como usar penteados muito apertados. O benefício desses hábitos para a beleza masculina é não fazer muita tração no bulbo e favorecer a queda. Uma boa maneira de você acertar num corte e ficar satisfeito é mostrar algumas fotos do resultado que deseja para o cabeleireiro ou barbeiro. O profissional certamente irá te dizer se é possível ou se o seu tipo de cabelo e caimento são incompatíveis com o estilo, evitando frustrações.
> Leia mais
Botox capilar para homens
Passar um bom tempo em frente ao espelho e ostentar fios bonitos e bem cuidados não é mais exclusividade das mulheres. De uns tempos pra cá, os homens resolveram assumir sua vaidade e se dedicar mais aos cuidados com a beleza. Super de boas! Tanto que a febre do momento é o botox capilar masculino, uma tendência que está bombando entre os procedimentos feitos por eles nas barbearias e nos salões. Rodrigo Lima, diretor artístico do salão Circus, de São Paulo, com duas unidades na região da Paulista – uma na Augusta e outra na Pamplona – credita essa mudança de comportamento a uma nova postura. “O homem está se cuidando muito mais e procurando meios para manter um estilo, a saúde e o bem-estar. E, claro, que nessa busca entra uma primazia com o visual, para deixar o cabelo com bom caimento, sem frizz e com um brilho bacana. É visível como aumentou a procura por procedimentos que deixam os cabelos mais estruturados e alinhados”, pontua o cabeleireiro, proprietário do espaço que já tem 50% de homens entre a sua clientela. Mas atenção antes de correr em busca do botox capilar: o tratamento pode ter nomes diferentes conforme a região do país, podendo ser chamado também de plástica dos fios ou escova orgânica. E mais: é o mesmo tratamento que já faz sucesso entre as mulheres há algumas temporadas. Saiba tudo sobre o assunto agora. Como funciona O botox capilar tem como principal vantagem devolver componentes perdidos pelo cabelo no dia a dia, como ceramidas, queratina e lipídeos. Também fecha as cutículas do fio, aquelas escamas protetoras, trazendo brilho e alinhamento à fibra capilar, além de garantir uma hidratação potente. “É importante lembrar que o botox capilar não necessariamente alisa o cabelo, mas sim reduz volume e frizz”, destaca Rodrigo Lima. Para quem é indicado Homens que não têm química nos cabelos possuem poucas restrições — a maioria é liberada para fazer essa técnica de tratamento. O formato do cabelo também não implica em nada, seja reto, seja ondulado. Por outro lado, é sempre válido uma análise e diagnóstico do cabeleireiro antes de optar por qualquer procedimento para definir se o cabelo realmente precisa do procedimento ou não. Muitas vezes, a mudança de um produto no cotidiano já resolve, mas só mesmo um profissional especializado para falar. É importante lembrar que em casos de problemas, como queda de cabelo ou afinamento excessivo do fio, é bom se consultar como um médico previamente para determinar a possibilidade da realização do botox capilar. “Tome cuidado também com a mistura de químicas! Não é recomendável fazer o botox capilar em cabelo descolorido ou com outras químicas”, aconselha Rodrigo Lima. Manutenção Vai depender do efeito desejado, mas em linhas gerais, na maioria dos casos, os retoques são feitos em média, a cada dois meses. Novamente é importante lembrar que o produto utilizado é que define essa variação. “O número de lavagens interfere diretamente também, porém se considerarmos que a maioria dos homens lava o cabelo todo dia, a média do tempo de duração do tratamento é de 30 a 40 dias”, mensura Rodrigo Lima. Alguns cuidados no dia a dia não estendem o tempo de duração do procedimento, mas aumentam o grau de satisfação com o efeito desejado do botox capilar como, por exemplo, manter a hidratação semanal e evitar produtos anti-resíduos para não mandar embora os ativos utilizados no salão. A dica básica para garantir o realinhamento capilar e preenchimento da fibra é escolher uma linha de xampu e condicionador com ação de plástica dos fios ou que contenham ceramidas, colágeno, arginina e queratina na fórmula. Para turbinar a hidratação, use máscara com efeito de reconstrução do cronograma capilar uma vez por semana (ou de acordo com indicação do cabeleireiro).    
> Leia mais
Como tratar a caspa
Barba, cabelo, bigode e sobrancelha. É muita tentação para os floquinhos brancos... Brincadeira à parte, o que torna mesmo os homens mais suscetíveis à caspa não é a quantidade de pelos. Na verdade, as causas são desconhecidas, mas dermatologistas e terapeutas capilares, por suas experiências clínicas, já conseguem tirar como base alguns fatores que indicam o aparecimento da dermatite seborreica, nome clínico da caspa. Os motivos são diversos: sabe-se que alterações hormonais, estresse, água muito quente, clima seco, frio e mudanças bruscas de temperatura agravam o quadro. E, para piorar, outros dois fatores bombásticos: o primeiro é fisiológico — os homens tendem a ter a pele e o couro cabeludo mais oleosos e os fungos da caspa fazem a festa, pois se alimentam dessa oleosidade —; e o segundo fator é social, a maioria dos homens negligenciam a ida ao dermatologista, assim o caso se intensifica e fica cada vez mais difícil saber como tratar a caspa (ou preveni-la). Os ombros não mentem Depois da calvície, a principal reclamação dos homens é a caspa. Você que é profissional já deve ter percebido na bancada da barbearia. Não é para menos, os floquinhos brancos atingem 40% da população mundial, sobretudo o sexo masculino. Geralmente, os sintomas — entre eles vermelhidão, irritação do couro cabeludo e, por fim, descamação da pele que é o que caracteriza a caspa — vêm acompanhados de coceira e bastante incômodo, além do aspecto visual dos pontinhos claros nos cabelos e pelos do rosto e também nas roupas – fato bastante desagradável. Detalhe: as consequências não param por aqui, quando não tratado adequadamente, o quadro pode evoluir e levar à queda capilar – é isso que os clientes precisam entender para terem uma noção plena dos riscos que correm e assumirem a responsabilidade de tratar a caspa no seu cotidiano. Portanto, barbeiro profissional, recomende ao seu cliente que não subestime o problema achando que é algo do dia a dia — quanto antes for tratado, melhor. É nessa tecla que o profissional precisa bater. Por isso, ao menor sinal dos sintomas, oriente a clientela para que lance mão de alguns cuidados adequados que inibem a proliferação do fungo, e já enfatize o quanto é importante fazer deles bons hábitos. A seguir, listamos algumas dicas preciosas que fazem grande diferença no controle da dermatite seborreica. Se for o caso, aproveite o inverno, época de maior incidência do problema, e faça panfletos com as orientações sobre como tratar a caspa e deixe no balcão do caixa da barbearia. Ou, então, envie as recomendações por whatsapp ou e-mail. Pode ter certeza de que a sua clientela vai curtir e se sentir valorizada. Confira! COMO TRATAR A CASPA Fique longe de água quente Lave o cabelo com água morna ou fria, pois a temperatura alta estimula a produção de oleosidade e favorece a formação de caspa. Vale fazer um esforcinho nesse sentido, porque a água quente contribui demais para o surgimento dos pontinhos brancos. A lavagem perfeita Além da temperatura da água, que precisa estar morna ou fria (ah, assim como a quente, a água gelada também é proibida!), a maneira de lavar o cabelo faz toda diferença para quem está em pleno processo de como tratar a caspa. Alguns cuidados preservam a região irritada de um desgaste maior. *“O cabelo deve ser lavado suavemente, obedecendo a direção do crescimento natural dos fios, nunca ao contrário. É bom evitar movimentos circulares e com muita pressão também. Na barbearia, por exemplo, quem se responsabiliza por essa etapa, não pode ter unhas grandes e deve sempre utilizar a polpa da ponta dos dedos”, aconselha o tricologista Luciano Barsanti, presidente da Sociedade Brasileira de Tricologia. Todos nós sabemos que o ritual de lavar o cabelo na barbearia hoje em dia, assim como todo o período de permanência do cliente nesse espaço, é um momento de relaxar, mas que requer técnica. “Quem não gosta de uma bela drenagem ou massagem capilar? Porém, todo cuidado é pouco. O excesso de estímulo na região do couro cabeludo – e em outras áreas afetadas, como a barba, por exemplo, – pode aumentar a produção de sebo e agravar o problema, além de atrapalhar o ‘projeto como tratar a caspa’. Em fios muito oleosos é melhor que o profissional evite massagens”, aconselha a terapeuta capilar com MBA em cosmetologia Sheila Bellotti, do Rio de Janeiro. Para finalizar, uma dica básica, mas fundamental: é importante utilizar um xampu de acordo com o tipo de fio e condições do cabelo, como os tingidos, cacheados, muito oleosos, secos demais... Nunca durma com os fios úmidos Isso é expressamente proibido! A umidade e o “ambiente” abafado do travesseiro são as condições ideais para a proliferação de fungos e bactérias. Se for inevitável lavar o cabelo à noite, seque-o completamente antes de se deitar, com o jato do secador morno ou frio, nunca quente (o princípio é o mesmo da água, para não estimular a formação de sebo). De olho no xampu adequado Esse é um fator que exige atenção redobrada e tem relação direta com a intensidade e o estágio do problema. Um homem que ainda não está com os sintomas, mas tem propensão à dermatite seborreica, sobretudo com a chegada do inverno, deve usar um xampu neutro ou natural à base de camomila, babosa, mirra ou eucalipto, ingredientes refrescantes e calmantes. No caso da descamação já estar instalada, é indicado o uso dos xampus anticaspa, que contêm peritionato de zinco, o ciclopirox olamina ou cetoconazol na formulação. Agora, uma superdica para aqueles homens que têm costume de usar xampus adstringentes ou anti-resíduos a fim de controlar a oleosidade natural: eles ressecam muito a pele e o couro cabeludo, provocando o efeito rebote, isto é, favorecem a descamação e, ainda por cima, estimulam mais a produção de sebo. Uma alternativa, para aliviar os fios sobrecarregados de oleosidade, é utilizar os xampus adstringentes mais suaves, aqueles indicados para cabelo oleoso. Boné: use com moderação Você é daqueles que não dispensa um boné? E quando não dá para ir com ele, providencia logo um chapéu ou boina? Então, está mais do que na hora de se desvencilhar desse hábito. Parece bobagem, mas esses acessórios são mais prejudiciais do que parece. Eles abafam os fios e, dessa forma, deixam o couro cabeludo com oleosidade e suor, sem poder respirar, ou seja, o ambiente é perfeito para a proliferação da caspa. O ideal é usar a peça em dias alternados ou a cada dois dias e caprichar na higiene nos dias em que optar pelo uso, deixando o cabelo secar completamente, claro. Nada de receitas caseiras Sugestões que envolvem a aplicação de produtos, como vinagre, limão, gotinhas disso ou daquilo, não têm nenhuma comprovação de benefício. Outra coisa que é melhor não fazer: usar produtos abrasivos para higienizar, porque irritam ainda mais o couro cabeludo. Nenhum ingrediente da geladeira, fruteira ou dispensa pode solucionar o problema. Todos podem, sim, implicar em algum risco. Não exagere nos condicionadores e finalizadores Está comprovado que o condicionador é indispensável na rotina dos homens. Isso mesmo, o produto não é um item opcional, ele deve fazer parte da rotina dos meninos, pois além de ajudar a selar as cutículas dos fios (abertas pelos ativos do xampu) é um cosmético que auxilia na hidratação. Reduzir o uso de cremes, finalizadores em gel e pomadas também ajuda, uma vez que esses produtos contribuem para o aumento da oleosidade do couro cabeludo. Alimentação sob controle Já que uma das causas da caspa é a oleosidade da pele, é natural que os alimentos ricos em gordura sejam evitados nos períodos de crise para não piorar o quadro. Vá com calma no happy hour Tá começando a parecer tortura, mas é verdade. Tomar aqueles drinks com a galera no final do expediente pode ser outro fator estimulante das glândulas sebáceas, o álcool ajuda a produzir mais sebo.   CASPA NA SOBRANCELHA? Acredite, não é raro que os floquinhos apareçam nessa região. A maneira mais fácil de identificar se é mesmo caspa é observar manchas rosa ou vermelha com escamas na pele, que tendem a ser oleosas em vez de suaves e brancas. Nesse caso, para saber como tratar a caspa, o ideal é orientar agir exatamente como se fosse com o couro cabeludo – limpar suavemente a área afetada com um pingo de xampu anticaspa. Isso mesmo! O produto tem ativos próprios para combater o fungo da dermatite seborreica e contém ingredientes que acalmam a inflamação. Depois, para evitar qualquer acúmulo, é indicado aplicar um hidratante não oleoso sobre as manchas secas ou escamosas.No mais, siga os mesmos princípios de quem tem pele com acne (e não deve espremer espinhas): Manter os dedos longe das sobrancelhas. Tentar remover os flocos de uma área já inflamada só vai piorar a situação. A ordem é evitar substâncias como o ácido glicólico, peróxido de benzoíla, medicamentos para acne ou cremes antienvelhecimento, que causam ainda mais irritação. De um modo geral, é a mesma conduta de como tratar a caspa do couro cabeludo, com pouquíssimas particularidades.   BARBEIRO, TENHA UM PAPO RETO COM O SEU CLIENTE Apesar da caspa ser um problema aparente, sobre o qual tanto o profissional quanto o cliente sabem que existe, é importante falar a respeito. Portanto, barbeiros e auxiliares, a primeira providência a tomar é trocar uma ideia com o cliente assim que se deparar com o menor sinal de algum sintoma: oleosidade excessiva, coceira, vermelhidão, descamação e, óbvio, os próprios floquinhos brancos. Isso para que ele, antes de qualquer coisa, possa saber como tratar a caspa e, em segundo lugar, não pense que está tudo sob controle. Como é um assunto delicado e, de certa forma, constrangedor, é preciso cautela e franqueza para lidar com o tema no dia a dia da barbearia, sem que isso se torne um drama. “Basta ter jeito e educação, mas jamais permanecer calado diante de um fato desses, pois o problema pode se agravar”, ressalta Luciano Barsanti. E, como a maioria dos distúrbios dermatológicos, as chances de controle são bem maiores quando o tratamento é feito na fase inicial. Além dessa saia justa, existem outras que rondam o tema como, por exemplo, a responsabilidade de resolver o problema. Por isso, é bom deixar claro se o cliente insistir num tratamento mais profundo na barbearia (por falta de tempo ou de dinheiro para ir a um especialista): o profissional de estética não tem obrigação e nem conhecimento para resolver esse tipo de disfunção. O que os profissionais da barbearia podem fazer é alertar o cliente diante de qualquer alteração, como oleosidade e queda excessivas, descamações, entre outras. Cabe a eles sim, orientar o homem a procurar uma ajuda específica de um médico ou terapeuta. Inclusive, essa atitude consciente agrega valor ao serviço oferecido pela barbearia, que será vista como uma empresa séria e comprometida com a saúde dos clientes que vão poder saber como tratar a caspa.   Gostou das dicas? Você pode aprender muito mais nos cursos do Instituto Embelleze. Além do curso Barbeiro Academy Hair, o Instituto oferece cursos profissionalizantes de designer de cílios e de sobrancelhas, cabeleireiro, manicure e pedicure, depilação, maquiagem, massagem relaxante, biossegurança e gestão em salão de beleza e especialista em cachos. Todos com certificado para você seguir uma carreira autônoma e conquistar o sonho de ser dono de um negócio próprio!  
> Leia mais
Anterior
Próximo
1 / 3
Fique por dentro
Cadastre-se e receba as novidades!
Copyright © 2019 · Todos Direitos Reservados