Experts    |    Eu, profissional    |    Tendências    |    Guia da Beleza
Voltar

Depilação

Fotos: Shutterstock

Depilação facial: os 3 métodos mais econômicos e sem contraindicações

As laterais do rosto, a linha acima dos lábios e o queixo feminino podem ter pelos, o que acaba se tornando um incômodo bem antiestético. Saiba como eliminá-los sem arriscar a pele

Pode ser só uma penugem, mas já é o bastante para mexer com a autoestima de muitas mulheres. Quando os pelos são poucos e discretos, dá para arrancá-los sozinha, em casa, usando com uma boa pinça. Porém, quando os fios nascem grossos ou longos e em grande quantidade, o melhor é recorrer à ajuda de um profissional.

Vale lembrar que essa condição depende de etnia ou de fatores hormonais. Quem descende de povos do mediterrâneo, Oriente Médio e Sul da Ásia tem mais chances de sofrer com o excesso de pelos, assim como as mulheres que produzem os hormônios sexuais andrógenos (masculinos) mais que o normal ou possuem síndrome dos ovários policísticos. Alguns medicamentos, como os que são usados para tratar endometriose, também podem provocar o aumento de pelos.

Mas seja qual for a causa, a boa notícia é que existem métodos de depilação indicados especificamente para o rosto. Conheça agora os melhores e os cuidados que devem ser tomados antes e depois da retirada dos fios.

Os melhores métodos para depilar a face

depilação com linhaLINHA

A depilação com linha ou depilação egípcia, como também é conhecida, é uma técnica que tem se popularizado entre as mulheres. “Ela retira os pelos desde a raiz, sem oferecer o risco de cortes, alergias ou queimaduras. Mas a maior vantagem do método é que ele elimina até os pelos mais finos e difíceis de serem removidos”, diz Rejane Chaves, instrutora do curso de depilação do Instituto Embelleze Jaboatão dos Guararapes (PE). Dê play no recadinho que a Rejane gravou e que está lá no final desse post!

A depilação com linha é dolorida, mas quem é adepta garante que vale a pena sofrer um pouquinho. Outros benefícios da linha:

  • Os pelos demoram mais para voltar a crescer — até 40 dias
  • Não provoca a flacidez da pele, como pode acontecer com a cera
  • Elimina células mortas
  • A linha não dá alergia — a região depilada só fica vermelha, mas por pouco tempo
  • É um método bem higiênico
  • Preserva a queratina natural da pele
  • Consegue extrair os pelos lanugos, ou seja, aquela penugem bem fininha que contorna o rosto
Como é feita:

Aplicada somente por profissional habilitado, a depilação com linha é realizada com fio branco macio e, embora possa ser feita em qualquer parte do corpo, é mais indicada para sobrancelhas, buço e face. O expert apoia a linha entre os dedos e, com movimentos rápidos vai enrolando e desenrolando de maneira a arrancar os pelos pela raiz.

 

depilação com pinçaPINÇA

Ela é precisa e arranca o pelo pela raiz quando manuseada do jeito certo. O pelo extraído do folículo piloso (e não quebrado) demora mais para voltar a crescer, o que é uma vantagem desse método.

A pinça é indicada para pequenas áreas, como as sobrancelhas e o queixo, ou para pelos isolados em alguma parte da face. Isso porque o processo de retirada é longo (um a um).

Existem vários modelos de pinça, mas a ideal para o rosto é a inclinada ou diagonal:

Ponta inclinada – É a que oferece maior precisão na hora de remover os pelos. Boa para as sobrancelhas, o queixo e a penugem da testa. Retira bem fios de tamanho médio e curto. Escolha uma pinça que tenha almofadinhas nas pontas, pois é melhor para agarrar o pelo.

Ponta reta – Ótima para retirar pelos de tamanho médio e longo. Serve para limpar o contorno da sobrancelha e remover fios em excesso sem precisar mexer no desenho. A ponta reta pode acabar arrancando mais de um fio por vez, por isso, merece cuidado para não causar estragos.

Ponta fina – Os pelos curtos e finos saem pela raiz com essa pinça que tem a ponta parecida com um bisturi. No entanto, como ela é um tanto perigosa de manipular, deve ser manuseada por quem tem habilidade, como um profissional.

Como usar:
  • Esterilize a pinça com álcool isopropílico antes de colocá-la em contato com a pele. Sem esse cuidado pode haver o risco de contaminação e infecções na derme.
  • O pelo deve ser arrancado no sentido do crescimento, pois assim sai com mais facilidade evitando o surgimento de bolinhas vermelhas. Dessa forma ainda previne o encravamento do fio e minimiza a dor.
  • Antes de começar a retirar os pelos do rosto, limpe-o com sabonete facial e aqueça-o com vapor ou uma toalha quente para abrir os poros e facilitar a saída do cabelo do folículo.

 

depilação com cera

CERA

Um método rápido, prático e que retira o pelo pela raiz. Pode ser usada na sensível região acima dos lábios, no queixo, nas mandíbulas e na testa, porém dói e pode deixar marcas (como irritação, esfolamento e queimadura) se a cera não for aplicada corretamente. Por isso é importante procurar um profissional capacitado, ok? Existem duas versões de cera:

Cera fria - É recomendada para quem tem sensibilidade ao calor e sofre com microvazinhos no rosto. O ideal é aplicar a cera fria em pelos grandes, pois a remoção errada pode quebrá-los em vez de arrancá-los.

Cera quente – Tem indicação para pessoas que não toleram dor, pois o calor dilata os poros e facilita a saída do pelo, diminuindo assim o incômodo. Muito importante que o material esteja na temperatura correta, ainda mais para a delicada pele do rosto. O problema de estar quente demais é que pode gerar um aumento da produção de melanina e a hiperpigmentação; o resultado é o escurecimento da pele na região.

Como usar:
  • Primeiro higienize bem a pele antes de ser depilada
  • Confira se a cera está limpa para evitar bactérias
  • Aplique a cera na área desejada com uma espátula e, depois, puxe-a arrancando os pelos. O movimento da puxada deve ser rápido, mas suave, e contrário ao crescimento dos fios.

 

ANTES DE SE DEPILAR

  • Seja qual for o método escolhido, é fundamental limpar a pele antes com espuma de limpeza ou água micelar para evitar inflamações causadas por bactérias.  
  • Se você faz tratamento para o rosto com retinol ou cremes à base de ácidos, interrompa o uso cinco dias antes da depilação.
  • Evite depilar o rosto nos dias da menstruação, pois a pele tende a ficar mais sensível.
  • Não depile a pele inflamada nem com acne, pois os poros ficam expostos e mais vulneráveis à entrada de bactérias.

cuidados pós-depilação

DEPOIS DA DEPILAÇÃO

  • Logo em seguida à extração dos pelos, toque na área depilada várias vezes com os dedos para minimizar a dor e a queimação.
  • Para diminuir a vermelhidão, faça compressas frias de chá de camomila ou de salsa.
  • Depois da depilação, não se exponha ao sol sob o risco de manchar o rosto e aplique protetor solar.
  • Também evite o uso de maquiagem nas primeiras 24 horas pós-depilação para não provocar irritações e combater o entupimento dos poros.
  • Surgiu algum pelo encravado? Tente desobstruir o poro e liberar a saída do cabelo com uma esfoliação suave. Alguns fios não conseguem romper a barreira da pele, ficando curvados e causando foliculite.
Conheça importantes cuidados pré e pós-depilação para outras áreas do corpo e garanta uma pele lisinha e macia.

 

Saiba mais sobre beleza nos cursos profissionalizantes do Instituto Embelleze. Além de ficar expert na área, você pode descobrir uma nova carreira profissional e ser mais feliz! Os certificados de formação dos cursos são reconhecidos em todo o território Nacional, ou seja, são válidos em qualquer lugar do Brasil. 

 


Tags

depilação, depilação facial, depilação com linha, depilação profissional, tipos de depilação, depilação no verão

Comentários

Fique por dentro
Cadastre-se e receba as novidades!

Veja também ...

A NOVA MANICURE FRANCESINHA
Ela não é nenhuma mocinha — tem quase 90 anos —, mas sempre que atinge o auge da moda aparenta ser a mais nova tendência do momento. É que, embora possua uma característica clássica (marcar as pontas das unhas), é capaz de ganhar variações que trazem uma cara nova ao estilo. O precursor da francesinha foi Max Factor: em 1927 criou um creme rosado para ser aplicado como base e um líquido branco, só para as extremidades das unhas. No entanto, somente em 1970 a manicure foi batizada com esse nome. A pedido dos diretores de cinema por um esmalte mais neutro, o norte-americano Jeff Pink, fundador da marca Orly, lançou o primeiro kit de francesinha. Sorte a nossa! Desde então, a manicure virou a queridinha de famosas, como Kim Kardashian e Ariana Grande, e anônimas. E também evoluiu visualmente, com versões que vão muito além da faixinha branca, e na técnica de aplicação — os profissionais criaram vários jeitos de esmaltar para facilitar o trabalho.  Conheça todos as variações e segredos do estilo que está em alta no outono-inverno 2019. Métodos de manicure francesinha 1 Adesivo Feita com fita adesiva própria para a francesinha. A tira é colada sobre a unha, deixando uma área da ponta da unha livre para o esmalte branco (a espessura é você quem determina de acordo com o seu gosto). Depois é só passar o branquinho, esperar secar e tirar o adesivo. 2 Polegar Nessa técnica, o profissional aplica o esmalte branco usando a ponta do dedão. Ele tinge a própria pele com o branquinho e depois a encosta na unha da cliente, movimentando o dedão de um lado para o outro até que toda a extensão da ponta seja coberta. Às vezes, o traço não fica super retinho, então é preciso corrigir com um palito. 3 Pincel artístico Ele tem as cerdas fininhas, próprias para nail art. Basta mergulhar o pincel no esmalte branco e fazer o traço da francesinha do tamanho que desejar. A espessura fina ajuda a conseguir maior precisão no desenho.   4 Palito de unha Nesse método, o esmalte branco é aplicado com o próprio pincel do produto, da ponta até mais ou menos a metade da unha. Em seguida, com um palito, o profissional delineia a francesinha e depois limpa os excessos com removedor embebido em algodão para acertar o desenho. 5 Borrada Como o nome já diz, é uma técnica que borra o dedo, mas apesar da sujeira, é muito boa para controlar a espessura e a precisão do traço. Você posiciona o pincel do esmalte sobre a ponta da unha e, conforme vai desenhando o traço da francesinha, vai pintando também a ponta do dedo. Depois é só limpar com removedor.  Dicas infalíveis para a manicure francesinha Se o esmalte branco for novo e ralo, aplique duas camadas dele. Sempre que quiser acertar o traço de esmalte branco, faça isso usando um palito de algodão embebido em removedor. Mas enrole uma quantidade pequena de algodão no palito e, depois de mergulhá-lo no removedor, retire o excesso apalpando o algodão na sua mão. Se você não tiver um pincel artístico à disposição, fabrique um em casa: basta cortar as cerdas de um pincel de esmalte antigo com a tesoura, até sobrarem quatro ou cinco cerdas. Depois de terminada a manicure francesinha é imprescindível aplicar uma camada de extrabrilho (ou top coat) para evitar lascas do esmalte.  Estilos consagrados A expert Cláudia Cecília, instrutora do Instituto Embelleze de Brasília, fala sobre os dois tipos de francesinha mais pedidos nos salões: Francesinha mediana – “Tem a ponta branca mais larga que o tradicional. É usado o pincel do próprio esmalte para o traço que, depois, é acertado com um palito de algodão embebido em removedor”, explica Cláudia. Francesinha fina – Aqui, o traço é bem delicado, feito somente na pontinha mesmo da unha. “Corte as cerdas do pincel do esmalte com tesoura ou alicate, deixando apenas um filete no meio. Em seguida, molhe o pincel no branquinho e encoste-o horizontalmente na unha, formando o traço”, ensina a instrutora. A partir desses estilos clássicos, muitos outros são criados pelos profissionais no dia a dia. A Cláudia Cecília, por exemplo, tem várias versões autorais que fazem sucesso. Uma delas é a francesinha camuflagem, que ela ensina passo a passo no vídeo do final do post (veja abaixo). O passo a passo dessa técnica é assim: Faça o traço branco na ponta da unha do tamanho que desejar —use um palito com algodão e removedor para delinear perfeitamente. Espere secar e aplique uma demão de base por cima. Aguarde secagem. Agora passe um esmalte claro por cima, pode ser rosinha, cintilante, perolado..., desde que tenha transparência para não cobrir a francesinha. Essa “camuflagem” aumenta a durabilidade da francesinha.   A nova manicure francesinha para você se inspirar Nos desfiles de moda internacionais, a francesinha foi a mais pedida por grandes marcas, como Versace e, Prabal Gurung. Nas versões contemporâneas da técnica apareceu de tudo um pouco na ponta das unhas: traço metalizado, pontinha em formatos geométricos e até coração, francesinha ombré, com cristais, em linha bem grossa ou finíssima, desconstruída... Enfim, não faltam decorações criativas para colocar esse estilo amado cada vez mais no topo fashion. Numa pesquisa no Instagram notamos que já tem um monte de gente investindo nos novos estilos. Vem ver aqui na galeria!    
> Leia mais
CORTES DE CABELO MASCULINO PARA CRESPOS, ONDULADOS E LISOS
Desde que a indústria da moda e da beleza olhou para a ala masculina de modo especial, as novidades nunca mais pararam de surgir. Das passarelas fashion saem roupas cheias de bossa e cortes e penteados repletos de charme e estilo. Nada mais é apenas o tradicional para os homens. Tanto que até a clássica profissão de barbeiro não é mais a mesma. Há algum tempo as barbearias têm investido alto em informação e capacitação para trabalhar com técnicas modernas e diferenciadas e, assim, atender aos desejos do público masculino. No quesito cabelo, as tendências estão cada vez mais ousadas. A influência americana e europeia trouxe formas e texturas que, definitivamente, subiram à cabeça deles. “Para este ano, não tenho dúvida de que, dentre os cortes de cabelo masculino da moda, o graduado e suas variações vai ser o grande hit. Conhecido popularmente como degradê (em inglês, fade), o corte se concentra na parte de baixo da cabeça, a partir das orelhas — laterais, trás e nuca. O topo pode ser elaborado a gosto do cliente”, diz Jimmy Medeiros, instrutor do curso de Barbearia do Instituto Embeleze de Taguatinga, Brasília. De acordo com o expert, o estilo que combina base graduada e corte livre na parte superior é chamado de corte híbrido e é exatamente essa proposta que vai pegar. Quer saber o que vem por aí e como fazer a melhor escolha para cada tipo de cabelo? Leia a seguir!    Graduado médio com nudred: ideal para cabelo afro Foto: Reprodução/Instagram Corte Também chamado de mid fade e taper fade, o graduado médio é feito à máquina nas laterais. A gradação (ou esfumado) fica restrita à base da cabeça e os pentes utilizados na máquina de corte são 0 (zero), ½ (meio) e 1 (um). “Para o graduado médio a linha inicial é feita com o 0 (zero) e deverá subir, aproximadamente, dois dedos da nuca e também nas laterais, tendo a altura das orelhas ou das sobrancelhas como referência de limite. Já na parte superior da cabeça, o comprimento dos fios deve ter, no mínimo, dois centímetros de altura”, explica Jimmy. Penteado A onda agora é pentear os fios longos do topo da cabeça com a esponja nudred. Esse produto é próprio para cabelo crespo ou afro, curtos, e específico para fazer cachos. Parece uma esponja de lavar louça, porém é bem grossa e um dos lados é todo perfurado para modelar os cachos. Na hora de produzir o penteado, aplique um pouco de pomada de modelagem no cabelo e passe o lado com furos da esponja sobre os fios em movimentos circulares, no sentido horário. Passe quantas vezes forem necessárias até formar os cachinhos. Finalize com uma névoa de spray fixador.   Graduado navalhado com mechas quiff: para cabelo ondulado a cacheado Foto: Reprodução/Instagram Corte O corte de cabelo masculino também conhecido como high fade nasceu nos anos 1950. Ele tem a parte superior elaborada com mechas quiff, que em inglês significa topete. Ou seja, o corte não passa de um degradê longo em cima, formando um topete alto, e mais curto no restante da cabeça. “Nessa gradação, cria-se inicialmente uma linha com o pente 0 (zero) da máquina e, toda a região abaixo desta linha, é cortada com a navalhete. Depois, deve ser utilizado o pente 0 (zero), ½ (meio) e 1 (um) para fazer a gradação. Já os fios do topo são cortados com tesoura para formar as mechas quiff. Resultado: laterais e o quadrante de trás do cabelo curtos — com tamanho aproximado de 6 cm ou 3 dedos – e o quadrante do meio e da frente do cabelo maiores para que o volume seja valorizado”, diz Jimmy. Penteado A finalização deste corte deve ser feita com secador e escova. Escove de trás para frente até os fios ficarem lisos. Depois, aplique um pouquinho de pomada fixadora de efeito seco nas mãos e penteie as mechas para trás, marcando as camadas do corte. Use spray fixador, se necessário. O visual fica cuidadosamente bagunçado e com uma leve ondulação.     Social curto com topete: indicado para os lisos Foto: Reprodução/Instagram Corte A gradação também pode ser feita no social curto e é perfeita para aquele cliente que foge do pente zero (0) da máquina. “Os pentes utilizados são 1 (um), 1 e ½ (um e meio) e 2 (dois). A nuca e as laterais são trabalhadas primeiro com pente 1. As laterais ficam com altura de 3 a 6 cm (ou dois a três dedos) para poderem ser integradas à parte superior com a gradação, que utiliza pente 1 e ½ (um e meio).  O topo da cabeça é cortado em degradê com tesoura, devendo ficar com 10 cm de comprimento para a criação do topete. Penteado Aplique gel de fixação média a forte em todo o cabelo do topo e, com um pente jacaré (de dentes largos), elabore um topete.   Você também pode aprender a cortar cabelo masculino e se tornar um expert. Informe-se numa unidade do Instituto Embelleze mais próxima a você! 
> Leia mais
Copyright © 2019 · Todos Direitos Reservados