Experts    |    Eu, profissional    |    Tendências    |    Guia da Beleza
Voltar

Barbearia

Fotos: Shutterstock

Como tratar a caspa

Os indesejáveis floquinhos brancos acometem mais a ala masculina do que a feminina e, no inverno, piora um pouquinho. Mas, calma, com alguns tratamentos e mudanças de hábitos é possível minimizar o problema e aprender como tratar a caspa

Barba, cabelo, bigode e sobrancelha. É muita tentação para os floquinhos brancos... Brincadeira à parte, o que torna mesmo os homens mais suscetíveis à caspa não é a quantidade de pelos. Na verdade, as causas são desconhecidas, mas dermatologistas e terapeutas capilares, por suas experiências clínicas, já conseguem tirar como base alguns fatores que indicam o aparecimento da dermatite seborreica, nome clínico da caspa. Os motivos são diversos: sabe-se que alterações hormonais, estresse, água muito quente, clima seco, frio e mudanças bruscas de temperatura agravam o quadro. E, para piorar, outros dois fatores bombásticos: o primeiro é fisiológico — os homens tendem a ter a pele e o couro cabeludo mais oleosos e os fungos da caspa fazem a festa, pois se alimentam dessa oleosidade —; e o segundo fator é social, a maioria dos homens negligenciam a ida ao dermatologista, assim o caso se intensifica e fica cada vez mais difícil saber como tratar a caspa (ou preveni-la).

Os ombros não mentem

Depois da calvície, a principal reclamação dos homens é a caspa. Você que é profissional já deve ter percebido na bancada da barbearia. Não é para menos, os floquinhos brancos atingem 40% da população mundial, sobretudo o sexo masculino. Geralmente, os sintomas — entre eles vermelhidão, irritação do couro cabeludo e, por fim, descamação da pele que é o que caracteriza a caspa — vêm acompanhados de coceira e bastante incômodo, além do aspecto visual dos pontinhos claros nos cabelos e pelos do rosto e também nas roupas – fato bastante desagradável. Detalhe: as consequências não param por aqui, quando não tratado adequadamente, o quadro pode evoluir e levar à queda capilar – é isso que os clientes precisam entender para terem uma noção plena dos riscos que correm e assumirem a responsabilidade de tratar a caspa no seu cotidiano. Portanto, barbeiro profissional, recomende ao seu cliente que não subestime o problema achando que é algo do dia a dia — quanto antes for tratado, melhor. É nessa tecla que o profissional precisa bater. Por isso, ao menor sinal dos sintomas, oriente a clientela para que lance mão de alguns cuidados adequados que inibem a proliferação do fungo, e já enfatize o quanto é importante fazer deles bons hábitos. A seguir, listamos algumas dicas preciosas que fazem grande diferença no controle da dermatite seborreica. Se for o caso, aproveite o inverno, época de maior incidência do problema, e faça panfletos com as orientações sobre como tratar a caspa e deixe no balcão do caixa da barbearia. Ou, então, envie as recomendações por whatsapp ou e-mail. Pode ter certeza de que a sua clientela vai curtir e se sentir valorizada. Confira!

como tratar a caspa
COMO TRATAR A CASPA

Fique longe de água quente

Lave o cabelo com água morna ou fria, pois a temperatura alta estimula a produção de oleosidade e favorece a formação de caspa. Vale fazer um esforcinho nesse sentido, porque a água quente contribui demais para o surgimento dos pontinhos brancos.

A lavagem perfeita

Além da temperatura da água, que precisa estar morna ou fria (ah, assim como a quente, a água gelada também é proibida!), a maneira de lavar o cabelo faz toda diferença para quem está em pleno processo de como tratar a caspa. Alguns cuidados preservam a região irritada de um desgaste maior.
*“O cabelo deve ser lavado suavemente, obedecendo a direção do crescimento natural dos fios, nunca ao contrário. É bom evitar movimentos circulares e com muita pressão também. Na barbearia, por exemplo, quem se responsabiliza por essa etapa, não pode ter unhas grandes e deve sempre utilizar a polpa da ponta dos dedos”, aconselha o tricologista Luciano Barsanti, presidente da Sociedade Brasileira de Tricologia.

  • Todos nós sabemos que o ritual de lavar o cabelo na barbearia hoje em dia, assim como todo o período de permanência do cliente nesse espaço, é um momento de relaxar, mas que requer técnica. “Quem não gosta de uma bela drenagem ou massagem capilar? Porém, todo cuidado é pouco. O excesso de estímulo na região do couro cabeludo – e em outras áreas afetadas, como a barba, por exemplo, – pode aumentar a produção de sebo e agravar o problema, além de atrapalhar o ‘projeto como tratar a caspa’. Em fios muito oleosos é melhor que o profissional evite massagens”, aconselha a terapeuta capilar com MBA em cosmetologia Sheila Bellotti, do Rio de Janeiro.
  • Para finalizar, uma dica básica, mas fundamental: é importante utilizar um xampu de acordo com o tipo de fio e condições do cabelo, como os tingidos, cacheados, muito oleosos, secos demais...

Nunca durma com os fios úmidos

Isso é expressamente proibido! A umidade e o “ambiente” abafado do travesseiro são as condições ideais para a proliferação de fungos e bactérias. Se for inevitável lavar o cabelo à noite, seque-o completamente antes de se deitar, com o jato do secador morno ou frio, nunca quente (o princípio é o mesmo da água, para não estimular a formação de sebo).

De olho no xampu adequado

Esse é um fator que exige atenção redobrada e tem relação direta com a intensidade e o estágio do problema. Um homem que ainda não está com os sintomas, mas tem propensão à dermatite seborreica, sobretudo com a chegada do inverno, deve usar um xampu neutro ou natural à base de camomila, babosa, mirra ou eucalipto, ingredientes refrescantes e calmantes. No caso da descamação já estar instalada, é indicado o uso dos xampus anticaspa, que contêm peritionato de zinco, o ciclopirox olamina ou cetoconazol na formulação. Agora, uma superdica para aqueles homens que têm costume de usar xampus adstringentes ou anti-resíduos a fim de controlar a oleosidade natural: eles ressecam muito a pele e o couro cabeludo, provocando o efeito rebote, isto é, favorecem a descamação e, ainda por cima, estimulam mais a produção de sebo. Uma alternativa, para aliviar os fios sobrecarregados de oleosidade, é utilizar os xampus adstringentes mais suaves, aqueles indicados para cabelo oleoso.

Boné: use com moderação

Você é daqueles que não dispensa um boné? E quando não dá para ir com ele, providencia logo um chapéu ou boina? Então, está mais do que na hora de se desvencilhar desse hábito. Parece bobagem, mas esses acessórios são mais prejudiciais do que parece. Eles abafam os fios e, dessa forma, deixam o couro cabeludo com oleosidade e suor, sem poder respirar, ou seja, o ambiente é perfeito para a proliferação da caspa. O ideal é usar a peça em dias alternados ou a cada dois dias e caprichar na higiene nos dias em que optar pelo uso, deixando o cabelo secar completamente, claro.

Nada de receitas caseiras

Sugestões que envolvem a aplicação de produtos, como vinagre, limão, gotinhas disso ou daquilo, não têm nenhuma comprovação de benefício. Outra coisa que é melhor não fazer: usar produtos abrasivos para higienizar, porque irritam ainda mais o couro cabeludo. Nenhum ingrediente da geladeira, fruteira ou dispensa pode solucionar o problema. Todos podem, sim, implicar em algum risco.

Não exagere nos condicionadores e finalizadores

Está comprovado que o condicionador é indispensável na rotina dos homens. Isso mesmo, o produto não é um item opcional, ele deve fazer parte da rotina dos meninos, pois além de ajudar a selar as cutículas dos fios (abertas pelos ativos do xampu) é um cosmético que auxilia na hidratação. Reduzir o uso de cremes, finalizadores em gel e pomadas também ajuda, uma vez que esses produtos contribuem para o aumento da oleosidade do couro cabeludo.

Alimentação sob controle

Já que uma das causas da caspa é a oleosidade da pele, é natural que os alimentos ricos em gordura sejam evitados nos períodos de crise para não piorar o quadro.

Vá com calma no happy hour

Tá começando a parecer tortura, mas é verdade. Tomar aqueles drinks com a galera no final do expediente pode ser outro fator estimulante das glândulas sebáceas, o álcool ajuda a produzir mais sebo.

 

CASPA NA SOBRANCELHA?

Acredite, não é raro que os floquinhos apareçam nessa região. A maneira mais fácil de identificar se é mesmo caspa é observar manchas rosa ou vermelha com escamas na pele, que tendem a ser oleosas em vez de suaves e brancas. Nesse caso, para saber como tratar a caspa, o ideal é orientar agir exatamente como se fosse com o couro cabeludo – limpar suavemente a área afetada com um pingo de xampu anticaspa. Isso mesmo! O produto tem ativos próprios para combater o fungo da dermatite seborreica e contém ingredientes que acalmam a inflamação. Depois, para evitar qualquer acúmulo, é indicado aplicar um hidratante não oleoso sobre as manchas secas ou escamosas.
No mais, siga os mesmos princípios de quem tem pele com acne (e não deve espremer espinhas):

  • Manter os dedos longe das sobrancelhas.
  • Tentar remover os flocos de uma área já inflamada só vai piorar a situação.
  • A ordem é evitar substâncias como o ácido glicólico, peróxido de benzoíla, medicamentos para acne ou cremes antienvelhecimento, que causam ainda mais irritação.
  • De um modo geral, é a mesma conduta de como tratar a caspa do couro cabeludo, com pouquíssimas particularidades.

 

como tratar a caspa
BARBEIRO, TENHA UM PAPO RETO COM O SEU CLIENTE

Apesar da caspa ser um problema aparente, sobre o qual tanto o profissional quanto o cliente sabem que existe, é importante falar a respeito. Portanto, barbeiros e auxiliares, a primeira providência a tomar é trocar uma ideia com o cliente assim que se deparar com o menor sinal de algum sintoma: oleosidade excessiva, coceira, vermelhidão, descamação e, óbvio, os próprios floquinhos brancos. Isso para que ele, antes de qualquer coisa, possa saber como tratar a caspa e, em segundo lugar, não pense que está tudo sob controle. Como é um assunto delicado e, de certa forma, constrangedor, é preciso cautela e franqueza para lidar com o tema no dia a dia da barbearia, sem que isso se torne um drama. “Basta ter jeito e educação, mas jamais permanecer calado diante de um fato desses, pois o problema pode se agravar”, ressalta Luciano Barsanti. E, como a maioria dos distúrbios dermatológicos, as chances de controle são bem maiores quando o tratamento é feito na fase inicial.

Além dessa saia justa, existem outras que rondam o tema como, por exemplo, a responsabilidade de resolver o problema. Por isso, é bom deixar claro se o cliente insistir num tratamento mais profundo na barbearia (por falta de tempo ou de dinheiro para ir a um especialista): o profissional de estética não tem obrigação e nem conhecimento para resolver esse tipo de disfunção. O que os profissionais da barbearia podem fazer é alertar o cliente diante de qualquer alteração, como oleosidade e queda excessivas, descamações, entre outras. Cabe a eles sim, orientar o homem a procurar uma ajuda específica de um médico ou terapeuta. Inclusive, essa atitude consciente agrega valor ao serviço oferecido pela barbearia, que será vista como uma empresa séria e comprometida com a saúde dos clientes que vão poder saber como tratar a caspa.

 

Gostou das dicas? Você pode aprender muito mais nos cursos do Instituto Embelleze. Além do curso Barbeiro Academy Hair, o Instituto oferece cursos profissionalizantes de designer de cílios e de sobrancelhas, cabeleireiro, manicure e pedicure, depilação, maquiagem, massagem relaxante, biossegurança e gestão em salão de beleza e especialista em cachos. Todos com certificado para você seguir uma carreira autônoma e conquistar o sonho de ser dono de um negócio próprio!

 

Tags

caspa, barbearia, barbeiro profissional, curso de barbeiro, Instituto Embelleze, cabeleireiro profissional

Comentários

Fique por dentro
Cadastre-se e receba as novidades!

Veja também ...

MAKE PARA DISFARÇAR POROS DILATADOS E NÃO DERRETER NO CALOR
Basta as temperaturas elevarem para a gente sentir na pele algumas mudanças... A transpiração aumenta, assim como a oleosidade, o que faz ter que ficar secando a superfície a toda hora. E isso pode acontecer em qualquer tipo de pele. Além do incômodo, é possível notar que os poros do rosto ficam maiores, verdadeiros buraquinhos aparentes. Por que eles dilatam? Bem, por essas pequenas aberturas (existem aproximadamente 300 mil só no rosto!) normalmente saem os pelos, o suor e a gordura fabricados pela derme. A maior quantidade de poros está concentrada na zona T — testa, nariz e queixo — e, portanto, está explicado porque essas áreas sempre brilham mais. O clima quente acelera a produção das glândulas sudoríparas ou de suor e das glândulas sebáceas ou de gordura, fazendo com que a pele pareça sempre molhada e oleosa (pegajosa). Como essa questão é natural, a solução é driblar o problema com limpeza e hidratação do rosto usando produtos seborreguladores e que diminuem a dilatação dos poros. Outra saída para disfarçar poros dilatados é apostar na camuflagem com maquiagem, que salva o visual perfeitamente! Foto: Shutterstock PHOTOSHOP NOS POROS Quem tem dilatação severa dos poros deve procurar um dermatologista de confiança para realizar tratamentos de combate, como o uso de lasers e ácidos. No entanto, uma maquiagem aplicada do jeito certo e com os produtos adequados consegue até disfarçar poros dilatados mais visíveis. 1- Comece com uma boa limpeza e hidratação O correto é limpar o rosto de manhã e à noite com uma loção ou espuma de limpeza seguida de um tonificante sem álcool para retirar o excesso de sebo que entope os poros. “O tonificante ajuda a equilibrar o ph da pele e reduzir o tamanho dos poros”, diz Mayara Costa, instrutora de maquiagem, designer de sobrancelhas e designer de cílios do Instituto Embelleze Águas Lindas, em Goiás. Depois, é necessário hidratar o rosto com um produto livre de óleo — de preferência, específico para peles mistas a oleosas. O hidratante equilibra a produção das glândulas sebáceas e devolve água à derme, evitando o efeito rebote. Uma dica é aplicar, uma vez por semana, uma máscara facial à base de argila, que ajuda a “secar” a pele. No mercado, existe uma série de cosméticos feitos especialmente para quem tem poros dilatados: vale a pena fazer uma pesquisa e adotar uma linha no dia a dia. 2- Invista no primer Esse produto pré-maquiagem é a melhor invenção dos últimos tempos para embelezar a pele e fazer o make durar mais. O primer é formulado com substâncias que provocam um efeito óptico, o chamado blur, que disfarça qualquer imperfeição. Exemplos? Reduz vermelhidão; elimina o excesso de brilho, sobretudo na zona T; preenche linhas de expressão e rugas suaves; e, claro, camufla os poros e os torna menos visíveis, porém sem obstrui-los. O objetivo do primer é preparar a pele para a aplicação da maquiagem. Ele suaviza a cútis e cria uma camada protetora, deixando a superfície fininha e aveludada, o que ajuda o make a durar mais. Pode ser aplicado com as mãos. Já são vendidas versões em bastão e coloridas, além do tradicional primer transparente tipo sérum. O ideal é investir no primer incolor, ainda mais se você é maquiador profissional, pois ele se adapta a qualquer pele. 3- Use base leve Pode parecer que a recomendação de usar base no verão vai deixar a pele ainda mais oleosa e, consequentemente, os poros abertos. Mas, por cima do primer, ela é uma aliada da aparência perfeita e natural. O que você precisa ter em mente é o tipo de produto que deve aplicar: Para uma cobertura leve, escolha uma base composta por água (e não óleo), na forma líquida. Base em pó nem pensar, ok?, porque deixa um visual irregular quando a pele começa a transpirar. Vá também de base de longa duração e efeito matificante ou matte, que ajuda a deixar o rosto mais sequinho por horas e horas. Ao aplicar a base, utilize uma esponja e não a mão, pois ela pode aumentar a temperatura da pele do rosto e provocar oleosidade. A esponja é ótima para depositar o cosmético sem criar marcações e disfarçar os poros — o resultado é mais natural. Foto: Shutterstock 4- Aplique pó para controlar o brilho É ele que vai maximizar a duração da sua maquiagem, além de controlar o brilho, principalmente na testa, no nariz e no queixo. Como o pó não deve alterar a cor da base, escolha um que pareça transparente ou num tom parecido com o da base. O pó solto é a melhor versão, porque tem partículas leves que não pesam no rosto. Conheça os dois tipos mais indicados: Pó translúcido – Branco ou em tons de pele, é usado para fixar o make e controlar o brilho sem conferir cor. Pó mineral – Indicado para peles sensíveis, é elaborado com partículas minerais e ingredientes suaves. Também aumenta a fixação da maquiagem e combate a oleosidade. Como aplicar? Com um pincel específico para pó. Ele tem o formato de cúpula, o que garante que o pigmento seja espalhado de maneira homogênea no rosto inteiro, ao redor do nariz e sob os olhos. O acessório deve ser de pelos naturais, macio ao toque. Uma dica: ao longo do dia, se a oleosidade ou a transpiração derem as caras, lance mão de um pó compacto (com ingredientes secativos e matificantes) para pequenos retoques. Nesse caso, aplique com uma esponja somente na zona T com leves batidinhas e suave pressão. 5- Finalize com blush sem ressaltar os poros Para uma maquiagem completa da pele, é preciso finalizar a base e o pó com um blush e, se desejar, até com um iluminador. Porém, apenas um erro pode destacar os buraquinhos do rosto em vez de camuflá-los. O que fazer? Passe o blush ou o iluminador — em pó — fora da área com poros dilatados. Isso significa que... O blush deve ser espalhado somente na parte inferior das maçãs do rosto, porém não muito embaixo. O visual fica sofisticado. O iluminador tem que ser aplicado apenas na lateral do rosto na altura das têmporas. Esfume uma camada na região com a ajuda de um pincel.  Uma dica para o blush: com os dedos, localize a maçã do rosto e sinta sua parte inferior — é aí que o produto deve ser aplicado.   Foto: Shutterstock   MAQUIAGEM DURADOURA É O QUE VOCÊ QUER? Para que o make em geral não derreta e você fique despreocupada em relação à aparência, é importante se valer dos produtos certos. Além dos já citados neste post para disfarçar os poros, tenha também no nécessaire: Máscara de cílios à prova d’água – Como tem um pigmento resistente à água, difícil de se desfazer, deve ser usada somente no verão e nas ocasiões às quais você não quer o olhar borrado de jeito nenhum! Atenção redobrada na hora de remover: use um demaquilante para a área dos olhos com ingredientes oleosos, que facilita a remoção e não provoca queda dos cílios. Batom de longa duração – Para cumprir a função de se fixar melhor nos lábios e permanecer por mais tempo, esse tipo de batom é produzido com uma maior quantidade de cera e pouquíssimo óleo. O que pode incomodar é a sensação de ressecamento que o produto provoca na pele, mas em compensação é eficiente.   Fixador de maquiagem – Excelente para deixar o make intacto por mais de 12 horas, dependendo da marca do produto. A versão em spray é a mais fácil de aplicar: basta agitar a embalagem e borrifar o fixador a 20 centímetros de distância do rosto, na posição vertical, com os olhos e a boca fechados e evitando inspirar.   Quer saber mais sobre maquiagem e, quem sabe, transformar-se num expert no assunto? Procure uma unidade do Instituto Embelleze mais próxima a você e informe-se sobre o curso de maquiagem profissional.     
> Leia mais
Depilação facial: os 3 métodos mais econômicos e sem contraindicações
Pode ser só uma penugem, mas já é o bastante para mexer com a autoestima de muitas mulheres. Quando os pelos são poucos e discretos, dá para arrancá-los sozinha, em casa, usando com uma boa pinça. Porém, quando os fios nascem grossos ou longos e em grande quantidade, o melhor é recorrer à ajuda de um profissional. Vale lembrar que essa condição depende de etnia ou de fatores hormonais. Quem descende de povos do mediterrâneo, Oriente Médio e Sul da Ásia tem mais chances de sofrer com o excesso de pelos, assim como as mulheres que produzem os hormônios sexuais andrógenos (masculinos) mais que o normal ou possuem síndrome dos ovários policísticos. Alguns medicamentos, como os que são usados para tratar endometriose, também podem provocar o aumento de pelos. Mas seja qual for a causa, a boa notícia é que existem métodos de depilação indicados especificamente para o rosto. Conheça agora os melhores e os cuidados que devem ser tomados antes e depois da retirada dos fios. Os melhores métodos para depilar a face LINHA A depilação com linha ou depilação egípcia, como também é conhecida, é uma técnica que tem se popularizado entre as mulheres. “Ela retira os pelos desde a raiz, sem oferecer o risco de cortes, alergias ou queimaduras. Mas a maior vantagem do método é que ele elimina até os pelos mais finos e difíceis de serem removidos”, diz Rejane Chaves, instrutora do curso de depilação do Instituto Embelleze Jaboatão dos Guararapes (PE). Dê play no recadinho que a Rejane gravou e que está lá no final desse post! A depilação com linha é dolorida, mas quem é adepta garante que vale a pena sofrer um pouquinho. Outros benefícios da linha: Os pelos demoram mais para voltar a crescer — até 40 dias Não provoca a flacidez da pele, como pode acontecer com a cera Elimina células mortas A linha não dá alergia — a região depilada só fica vermelha, mas por pouco tempo É um método bem higiênico Preserva a queratina natural da pele Consegue extrair os pelos lanugos, ou seja, aquela penugem bem fininha que contorna o rosto Como é feita: Aplicada somente por profissional habilitado, a depilação com linha é realizada com fio branco macio e, embora possa ser feita em qualquer parte do corpo, é mais indicada para sobrancelhas, buço e face. O expert apoia a linha entre os dedos e, com movimentos rápidos vai enrolando e desenrolando de maneira a arrancar os pelos pela raiz.   PINÇA Ela é precisa e arranca o pelo pela raiz quando manuseada do jeito certo. O pelo extraído do folículo piloso (e não quebrado) demora mais para voltar a crescer, o que é uma vantagem desse método. A pinça é indicada para pequenas áreas, como as sobrancelhas e o queixo, ou para pelos isolados em alguma parte da face. Isso porque o processo de retirada é longo (um a um). Existem vários modelos de pinça, mas a ideal para o rosto é a inclinada ou diagonal: Ponta inclinada – É a que oferece maior precisão na hora de remover os pelos. Boa para as sobrancelhas, o queixo e a penugem da testa. Retira bem fios de tamanho médio e curto. Escolha uma pinça que tenha almofadinhas nas pontas, pois é melhor para agarrar o pelo. Ponta reta – Ótima para retirar pelos de tamanho médio e longo. Serve para limpar o contorno da sobrancelha e remover fios em excesso sem precisar mexer no desenho. A ponta reta pode acabar arrancando mais de um fio por vez, por isso, merece cuidado para não causar estragos. Ponta fina – Os pelos curtos e finos saem pela raiz com essa pinça que tem a ponta parecida com um bisturi. No entanto, como ela é um tanto perigosa de manipular, deve ser manuseada por quem tem habilidade, como um profissional. Como usar: Esterilize a pinça com álcool isopropílico antes de colocá-la em contato com a pele. Sem esse cuidado pode haver o risco de contaminação e infecções na derme. O pelo deve ser arrancado no sentido do crescimento, pois assim sai com mais facilidade evitando o surgimento de bolinhas vermelhas. Dessa forma ainda previne o encravamento do fio e minimiza a dor. Antes de começar a retirar os pelos do rosto, limpe-o com sabonete facial e aqueça-o com vapor ou uma toalha quente para abrir os poros e facilitar a saída do cabelo do folículo.   CERA Um método rápido, prático e que retira o pelo pela raiz. Pode ser usada na sensível região acima dos lábios, no queixo, nas mandíbulas e na testa, porém dói e pode deixar marcas (como irritação, esfolamento e queimadura) se a cera não for aplicada corretamente. Por isso é importante procurar um profissional capacitado, ok? Existem duas versões de cera: Cera fria - É recomendada para quem tem sensibilidade ao calor e sofre com microvazinhos no rosto. O ideal é aplicar a cera fria em pelos grandes, pois a remoção errada pode quebrá-los em vez de arrancá-los. Cera quente – Tem indicação para pessoas que não toleram dor, pois o calor dilata os poros e facilita a saída do pelo, diminuindo assim o incômodo. Muito importante que o material esteja na temperatura correta, ainda mais para a delicada pele do rosto. O problema de estar quente demais é que pode gerar um aumento da produção de melanina e a hiperpigmentação; o resultado é o escurecimento da pele na região. Como usar: Primeiro higienize bem a pele antes de ser depilada Confira se a cera está limpa para evitar bactérias Aplique a cera na área desejada com uma espátula e, depois, puxe-a arrancando os pelos. O movimento da puxada deve ser rápido, mas suave, e contrário ao crescimento dos fios.   ANTES DE SE DEPILAR Seja qual for o método escolhido, é fundamental limpar a pele antes com espuma de limpeza ou água micelar para evitar inflamações causadas por bactérias.   Se você faz tratamento para o rosto com retinol ou cremes à base de ácidos, interrompa o uso cinco dias antes da depilação. Evite depilar o rosto nos dias da menstruação, pois a pele tende a ficar mais sensível. Não depile a pele inflamada nem com acne, pois os poros ficam expostos e mais vulneráveis à entrada de bactérias. DEPOIS DA DEPILAÇÃO Logo em seguida à extração dos pelos, toque na área depilada várias vezes com os dedos para minimizar a dor e a queimação. Para diminuir a vermelhidão, faça compressas frias de chá de camomila ou de salsa. Depois da depilação, não se exponha ao sol sob o risco de manchar o rosto e aplique protetor solar. Também evite o uso de maquiagem nas primeiras 24 horas pós-depilação para não provocar irritações e combater o entupimento dos poros. Surgiu algum pelo encravado? Tente desobstruir o poro e liberar a saída do cabelo com uma esfoliação suave. Alguns fios não conseguem romper a barreira da pele, ficando curvados e causando foliculite. Conheça importantes cuidados pré e pós-depilação para outras áreas do corpo e garanta uma pele lisinha e macia.   Saiba mais sobre beleza nos cursos profissionalizantes do Instituto Embelleze. Além de ficar expert na área, você pode descobrir uma nova carreira profissional e ser mais feliz! Os certificados de formação dos cursos são reconhecidos em todo o território Nacional, ou seja, são válidos em qualquer lugar do Brasil.   
> Leia mais
Copyright © 2020 · Todos Direitos Reservados